O que considerar nas contas ao conquistar o sonho do carro próprio?

Realização pessoal é, sem dúvidas, um dos grandes objetivos de nossas vidas. Essa realização pode ser de várias formas: chegar ao emprego ideal, formar uma família, comprar algo que deseja muito ter, entre outros exemplos.

Um dos bens de maior valor e que desperta o sonho de muita gente é o carro próprio. Poder se locomover sem precisar depender de transporte público ou de outras pessoas, com todo conforto e segurança, é alvo de vida para muitas pessoas.

Mas, nem só de sonhos podemos viver. Junto com a compra do carro próprio chegam inúmeras responsabilidades, obrigações e coisas que precisamos aprender para não ter futuros problemas.

Se você está ansioso para ter um carro próprio, mas sente que não está totalmente preparado, te ajudamos listando tudo que você precisa considerar nas contas ao conquistar esse sonho!

O que é preciso saber?

DETRAN, IPVA, DPVAT, CRV, CRLV… São muitas as siglas que precisamos saber o significado para termos a situação do carro próprio completamente regularizada. Se você não faz ideia do que significam, explicamos abaixo cada uma delas:

  1. CTB: sigla para Código Brasileiro de Trânsito. São as leis que regem o trânsito no Brasil, bem como as regras e multas em caso de infrações.
  2. DETRAN: sigla para Departamento de Trânsito. É o órgão responsável por regulamentar a formação dos condutores, bem como fiscalizar o trânsito nos estados.
  3. CONTRAN: sigla para Conselho Nacional de Trânsito. É a instituição que regulamenta todo o código de Trânsito do Brasil e que fica responsável por altera as leis de trânsito.
  4. CIRETRAN: sigla para Circunscrição Regional de Trânsito. É órgão que fiscaliza as cidades do interior nos estados.
  5. CNH: sigla para Carteira Nacional de Habilitação. É o documento que permite o direito de dirigir aos condutores.
  6. CRLV: sigla para Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo. É a documentação obrigatória para que o carro possa trafegar
  7. CRV: sigla para Certificado de Registro do Veículo. É a documentação realizada no emplacamento do veículo
  8. DPVAT: sigla para Danos Pessoais por Veículos Automotores Terrestres. É o seguro que faz a cobertura dos condutores em caso de acidentes de trânsito
  9. IPVA: sigla para Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores. Taxa anual para validar a posse dos veículos
  10. RENAVAN: sigla para Registro Nacional de Veículos. É o histórico de tudo o que ocorrer com veículo.
  11. RENACH: sigla para Registro Nacional de Carteira de Habilitação. É o histórico de tudo sobre o condutor.

Como organizar o orçamento?

Muitas das siglas acima se referem a documentações que precisam ser pagas pelo condutor. Ou seja, além do valor do próprio automóvel, é preciso organizar com antecedência o seu planejamento incluindo os documentos necessários. Listamos a seguir os prazos que você precisa ter atenção:

  • Licenciamento: o prazo de pagamento do licenciamento é no segundo semestre do ano, sempre tendo o vencimento de acordo com o último dígito da placa do veículo. Para conferir as datas, consulte o site do DETRAN do seu estado.
  • IPVA: o imposto é pago anualmente e sempre é cobrado no início do ano. Você pode pagar à vista com a parcela única no mês de janeiro. Ou pode dividir em três parcelas, pagas em janeiro, fevereiro e março. As datas também são determinadas pelo último dígito da placa do veículo.
  • DPVAT: os vencimentos do DPVAT acontecem junto com o IPVA. O valor a ser cobrado pelo seguro varia de acordo com o veículo.

Inclua também no seu orçamento o valor de um seguro automotivo. Eles são fundamentais para auxílio em casos de acidentes, sinistros, roubos e outras necessidades. O preço cobrado depende do ano de fabricação do veículo, bem como sua marca e o seu porte.

Se a sua placa é de São Paulo, você pode consultar agora mesmo sobre o licenciamento 2018 sp e receber as informações no seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *